Existe um evento que acontece na vida de todas as pessoas do mundo: o fim do relacionamento.

Apesar de ser um episódio triste, deve ser visto como uma chance de recomeçar.

Entretanto, muita gente fica perdida nesse meio tempo, pois veem outras pessoas namorando e sentem-se mal por estar sozinhas.

É hora de deixar esse sentimento de lado e aprender formas de superar o fim e continuar a vida.

Dimensionando o problema do fim

Em primeiro lugar, não existe idade para sofrer pelo fim de um relacionamento: adultos sofrem, idosos sofrem e adolescentes sofrem.

No entanto, há algo que deve ser entendido: apesar de não haver idade para as pessoas sofrerem, nem todo mundo fica mal com o fim amoroso.

Na verdade, há quem se sinta livre e aproveite essa liberdade de forma muito interessante e que deve ser observada por quem está sofrendo.

Relato de alguém que já passou por essa situação

Quem está lendo pode pensar “Mas é muito fácil falar porque não é você”. Na verdade, o fim de um relacionamento é uma experiência que já foi vivenciada por mim algumas vezes, embora, em uma delas, a coisa tenha sido pior.

Apesar de a relação, no geral, estar boa, chegou um momento em que tudo mudou.

Mesmo sentindo a pessoa diferente, a confirmação de que existiam problemas foi quando eu dizia “eu te amo” e a resposta que ouvia era “eu também”.

E o pior: esse “eu também” não era algo que acontecia de vez em quando: acontecia sempre. Como era de se esperar, logo vieram as brigas, que foram crescendo e culminaram no fim do namoro.

Essa não foi uma época fácil, como não costuma ser para quem passa por isso: fiquei triste, sofri e me mantinha ligado a ela, pois sempre buscava informações sobre como estava a vida da minha ex, mesmo sabendo que eu já não tinha nada a ver com aquilo e que aquela situação me fazia bastante mal.

Uma ajuda para enxergar a realidade

Meu pai começou a perceber que havia algo errado, até porque as pessoas próximas percebem mesmo quando acontece uma mudança em decorrência do fim de um relacionamento. Porém, meu pai não sabia a causa da minha transformação.

Quando ele ficou sabendo, disse duas frases que fizeram com que eu acordasse e percebesse que estava agindo da maneira errada.

Ele me disse que existiam muitas mulheres no mundo e que uma delas me faria muito mais feliz que a minha ex e também me perguntou se eu amava mais aquela mulher que a mim.

Essas colocações, mesmo usadas por todos que querem consolar alguém, me impressionaram.

Qual é o problema de sofrer pelo fim?

É claro que sofrer pelo fim de um relacionamento é normal. A questão é que muita gente sofre por pessoas que simplesmente não estão ligando para esse sofrimento.

São pessoas que seguiram a própria vida e deixaram o relacionamento que acabou no passado e é isso que quem está sofrendo também deveria fazer.

A palavra é: formatar.

Depois de decidir mudar o rumo da minha vida, tendo problemas com o computador que estava usando, pensei em formatá-lo para ver se o desempenho melhorava.

Naquele segundo eu entendi que não deveria formatar apenas a máquina, mas a minha vida e os meus pensamentos também.

Dessa maneira, todas as coisas antigas que estavam atrapalhando seriam eliminadas.

O que NÃO é eficaz para superar o fim

Eu tive a ideia de, para superar, sair para as baladas e aproveitar a noite e essa é a postura que muitas pessoas adotam.

Contudo, isso não serve para nada. Em primeiro lugar, porque quando a balada acaba os pensamentos voltam para ex.

Em segundo lugar, porque os meus amigos estavam namorando e eu não queria sair sozinho para curtir. Sendo assim, minha ideia fracassou.

 A forma certa de passar pelo fim do relacionamento

Mesmo tendo sido bastante difícil, foi possível superar essa situação e, para vocês, isso pode ser muito mais simples: basta seguir o procedimento que eu aprendi e que, inclusive, já está testado e tem garantia de sucesso, desde que haja força de vontade. Essa técnica consiste em três ciclos e o primeiro deles é a desintoxicação.

Desintoxicando a vida e deixando as coisas limpas

Esse ciclo significa limpar o coração e a cabeça para que tudo possa funcionar melhor. Isso inclui evitar pensamentos que lembrem a ex, evitar cultivar lembranças e coisas que promovam aproximação com o que foi vivido.

Esse ciclo está muito relacionado à identidade, pois a pessoa que sofre por conta da ex acaba esquecendo-se de si mesma, deixando-se para depois e isso não pode continuar acontecendo.

As pessoas que abandonaram os seus gostos e hobbies por conta da ex também estão incluídas nesse ciclo: é preciso retomar as atividades antigas que foram deixadas de lado por causa da ex: andar de skate, pintar, escrever quadrinhos, o que for.

Reconstrução: trazendo coisas novas para a vida

Esse ciclo vai tratar de coisas que não foram feitas devido ao relacionamento que se tinha. Muitas pessoas tinham planos que queriam muito colocar em prática, mas que não puderam fazer isso por algum motivo ligado à relação e é agora que esses planos poderão ser realizados.

Ao lembrar-se de todas as coisas que acabaram não sendo realizadas pelo relacionamento, o fim não parece tão ruim.

 Divirta-se! Curta com você e com as novas companhias

 Os dois primeiros ciclos podem durar o tempo que você quiser, pois cada pessoa tem o seu ritmo. Contudo, o terceiro ciclo também é muito importante: o ciclo da diversão.

Nesse ciclo, o objetivo é se divertir e aproveitar tanto sozinho quanto com as novas amizades que são feitas.

Uma característica importante do último ciclo: ele é automático. Quando se passa pelos dois primeiros, o terceiro chega de forma natural e significa que o fim do relacionamento foi, realmente, superado e você está com o sistema rodando como novo.

 Esta difícil conquista-la? Saiba o que fazer

Aprenda conquistar qualquer mulher do zero ao beijo agora mesmo em um guia passo-a-passo.

SIM! QUERO DESCOBRIR AGORA MESMO!